Centro reúne 100 fornecedores que foram vítimas da chuva em 2011.
Cerca de 24 mil peças chegam todos os dias da serra fluminense na cidade.

 Do G1 Campinas e Região
Central de distribuição de lingerie de Nova Friburgo em Campinas (Foto: Divulgação/G. Gonçalves )
A central de distribuição de lingerie funciona em galpão próximo à rodoviária (Foto: Divulgação/G. Gonçalves )

A chuva que devastou Nova Frigurgo em 2011 deixou também um trauma na economia local. Assustados, 100 fabricantes da cidade, conhecida como a “capital da lingerie”, viram nas facilidades logísticas e no relevo de Campinas (SP) uma alternativa mais segura. Juntos, eles montaram uma central de distribuição no interior paulista para que pudessem recomeçar sem o medo de, mais uma vez, terem seus negócios paralisados por causa da chuva ou deslizamentos de terra.

Hoje, diariamente, chegam de Nova Fiburgo à central em Campinas cerca de 24 mil peças. E o sucesso dos negócios também pode ser medido pelo número de revendedoras cadastradas: 10 mil. Os compradores chegam de estados como Pará, Mato Grosso e Bahia, mas a maioria deles vem mesmo da capital paulista.

O melhor de Campinas é a logística da cidade”
Agnelo D’La Belle, vice-presidente da Associação Comercial de Nova Friburgo

O coordenador da Central de Distribuição dos fabricantes de Nova Friburgo em Campinas e vice-presidente da Associação Comercial de Nova Friburgo, Agnelo D’La Belle, conta que o fato de os fabricantes estarem instalados em um galpão, de aproximadamente 600m², na Avenida das Amoreiras, próximo à rodoviária da cidade, é um grande diferencial. Angelo diz estar satisfeito com os resultados.

“O melhor de Campinas é a logística da cidade. Estamos na Avenida das Amoreiras, próximos à rodoviária, com muita facilidade para o pessoal vir da capital e também pelo Aeroporto de Viracopos”, explica De La Belle.

Clientes escolhem produtos na loja (Foto: Divulgação/G. Gonçalves)
Clientes escolhem produtos na loja
(Foto: Divulgação/G. Gonçalves)

Lucro de até 300%
E o mercado de lingerie em Campinas (SP) tem atraído revendedoras que tentam fugir da crise de ollho na possibilidade de lucro de até 300%. Uma delas é a garçonete Erika Costa, de 27 anos, que contou ao G1 faturar R$ 500 mensalmente só com o bico que faz vendendo calcinhas e sutiens.

“Eu já tinha interesse em vender lingerie, pensando em ganhar um dinheiro extra. Perguntei para o pessoal do meu trabalho se eles comprariam as lingeries. Como tiveram interesse, fui conhecer a central e fiz uma compra. Eu deixei que o pessoal fizesse os pedidos, de peças e tamanhos, ai comprei conforme meu público. Vendo no meu trabalho, para vizinhos e parentes e lucro R$ 500″, conta a garçonete.

A estratégia escolhida pela garçonete é uma das preferidas pelas revendedoras, conta De la Belle. 

“Ela teve uma boa estratégia, consultou possíveis clientes antes de fazer a primeira compra e assim não comprometeu tanto o investimento inicial”, explica.

Hoje, Erika é uma das revendedoras participantes do programa fidelidade da central. Quem compra R$ 300 todos os meses, faz a 13ª compra de de graça. “Eu vou todo o mês, compensa muito. Faço pacotes de presentes para clientes, faço encomendas, vendo modelos mais especiais e até modelos fitness”, explica a revendedora.

Fizemos um anúncio buscando gente para ganhar um extra, então meninas em Minas Gerais começaram a vender para nós”
Anderson Chiu, revendedor

Equipe de venda
Os irmãos Anderson e Adriana Chiu são de São Paulo e decidiram encarar a estrada para comprar as roupas íntimas em Campinas e revender na capital.

“Compramos na cidade devido ao preço e qualidade, porque as peças são ótimas, onde da pra se trabalhar e tem um lucro de mais de 100%”, conta Adriana.

O sucesso nos negócios fez com que os dois, que trabalham com o ramo de beleza e acessórios, tenham agora suas próprias revendedoras. “Fizemos um anúncio buscando gente para ganhar um extra, então meninas em Minas Gerais começaram a vender para nós. Assim eu ganho, elas ganham e tudo certo”, explica o revendedor. 

Os irmãos revendedores fazem cerca de R$ 4 mil compras em Campinas a cada dois meses. “Começamos com R$1,5 mil em compra e depois fomos aumentando. Além das meninas, vendemos também por redes sociais e para amigos e parentes. Isso dá um ótimo retorno e um aumento na renda, ou seja, vale a pena”, afirma Adriana.

A central de distribuição fica na Rua Abílio José dos Santos 42, Jardim Novo Campos Elíseos, em Campinas (SP). Informações pelo telefone (19) 3397-0227

Anderson e Adriana também decidiram investir na revenda de lingerie (Foto: Divulgação/G. Gonçalves)
Anderson e Adriana também decidiram investir na revenda de lingerie (Foto: Divulgação/G. Gonçalves)
 
Link Reportagem no site do G1
http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/concursos-e-emprego/noticia/2016/06/friburgo-capital-da-lingerie-abre-filial-em-campinas-para-fugir-da-crise.html
 
Categorias: Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *